592º ANIVERSÁRIO DO ACHAMENTO DO PORTO SANTO

 

“Numa iniciativa da Autarquia em colaboração com o Rotary Clube do Porto Santo, no próximo dia 1 de Novembro, celebra-se o 592º Aniversário do Achamento do Porto Santo, na ilha. Este foi o dia assumido oficialmente para esta comemoração e já vem sendo celebrado há alguns anos a esta parte e este ano não será diferente. Junto ao Padrão dos Descobrimentos, ocorrerão diversas actividades já programadas para este dia.

De acordo com o programa oficial disponibilizado pela autarquia ao Jornal da Madeira, nesse dia, pelas 10h00 será feita a deposição de uma coroa de flores junto ao Padrão dos Descobrimentos, seguindo-se às 10h30 a abertura da exposição interactiva sobre a IV Bienal do Porto Santo, na sala de exposições da Câmara Municipal (Edifício Histórico) e no Salão Nobre às 11h00 uma Palestra proferida pelo Comissário-geral da Bienal, Manuel Pessôa-Lopes, subordinada ao tema ‘Homo Virtualis’.

(…)”
IN JORNAL DA MADEIRA

 

“A ilha do Porto Santo celebrou ontem o 592º Aniversário do seu Achamento.

As comemorações tiveram início às 10h00, com a deposição de flores junto ao Padrão dos Descobrimentos, na presença das entidades civis e militares, que se dirigiram depois à exposição interactiva sobre a IV Bienal do Porto Santo, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.
Seguiu-se uma palestra, subordinada ao tema ‘Homo Virtualis’, por Manuel Pessôa-Lopes, Comissário Geral da Bienal do Porto Santo. As comemorações terminaram com uma Missa Solene, celebrada na Igreja de Nossa Senhora da Piedade às 12h00.

O Governador Distrital do Rotary Internacional, Joaquim Esperança, marcou presença nestas celebrações e, na oportunidade, assumiu ser com grande alegria que partilhava com os portossantenses este dia tão marcante para a ilha. Lembrou que a data partiu de uma iniciativa do Rotary Club do Porto Santo, logo abraçada pela autarquia local, ‘sendo a face mais visível na edificação das comunidades, representativa da união dos serviços, da partilha na construção, da alegria na vivência e da certeza no caminho’.

Por outro lado, Joaquim Esperança não quis deixar de referir que João Gonçalves Zarco e Tristão Vaz Teixeira descobriram em 1418 a ‘Pérola do Atlântico’, vindo a afirmar-se como ponto de referência da iniciativa de Colombo, levando-o à descoberta da América, o que constitui um dos factos históricos mais relevantes da Ilha Dourada.

Por seu turno, o responsável pela Bienal do Porto Santo, Manuel Pessôa-Lopes declarou que ‘Homo Virtualis’, o tema proposto para a IV edição da Bienal do Porto Santo, pretende reflectir sobre o estado actual em que se encontra a civilização.
Em declarações ao JORNAL DA MADEIRA, o curador admitiu ter procurado consciencializar as pessoas para o que é a arte contemporânea, tendo como objectivo fazer com que o público se identifique com ela.

(…)”
IN JORNAL DA MADEIRA